Começou o Horário de Verão! Como está o seu sono? E o do seu filho? Até nos adaptarmos, demora um pouquinho. Mas, com as dicas da Dra. Mônica Molha Romero tudo ficará mais fácil. Confira!

Por Dra. Mônica Molha Romero

O Horário Brasileiro de Verão 2018-2019 começou dia 04/11/2018 às 0h, mas surgiu com decreto de Lei em 1º de outubro de 1931. A medida é praticada atualmente em 30 países.

Nem sempre foi assim… Relatos na história apontam que as pessoas costumavam se deitar duas horas após o pôr do sol, após quatro horas de sono acordavam, permaneciam duas horas em vigília e voltavam a dormir, após esse intervalo, por mais quatro horas. Naquelas duas horas acordadas, faziam de tudo: fumar, beber, caminhar, conversar, etc.

Esse padrão parece ter resistido nas cortes francesas até o século XVIII.

Segundo Luiz Menna-Barreto, um dos precursores da cronobiologia latino-americana, há 200 anos, a humanidade, em geral, dormia 10 horas por dia, depois nove, oito e, atualmente, seis horas e meia, o que nos leva a pensar: “será o sono um processo em extinção?”.

Nesse mundo em que vivemos plugados em eletroeletrônicos, nossas crianças são sobrecarregadas desde o início de suas experiências e são ensinadas pelos adultos a não estabelecerem uma boa relação com o sono. Vivemos conectados e alertas para despertar a qualquer momento.

Infelizmente, a maioria dos indivíduos acha que o sono é uma perda de tempo e estão totalmente enganados a respeito.

Quando falamos do horário de verão, precisamos observar mais os sinais que a criança, bebê emite e menos o que dizem os aplicativos!

Todo organismo passa por uma fase de adaptação ao se ver diante da privação de sono, no entanto, nem todos manifestam sintomas imediatos.

Dê atenção ao que o corpo fala, entenda qual o seu padrão de sono, qual o ritmo do seu bebê e promova alterações graduais, afinal de contas, o organismo pode ser poupado e não ser exposto à loopings hormonais de estresse e alerta.

O cérebro humano reage de maneira distinta à alteração dos horários, existem bebês mais sensíveis ao desequilíbrio do sono e outros nem tanto; alguns indivíduos têm rápida reorganização do sono e muitos sofrem com essa normalização.

Dicas:

1- Se for necessário: apresente a possibilidade de adiantar 15 a 30 minutos do sono, de acordo com a tolerância do seu bebê.

2- Recrie o ambiente confortável e que simule a presença ou ausência de luz solar.

Exemplo: se na sua região, a intensidade da claridade diminui as 20h, não vamos esperar que o bebê vá dormir tão tarde.

Por volta das 18h, escureça os cômodos – use película de insulfilme, cortinas, blackout, cartolina preta… qualquer recurso que recrie o “fim do dia” e sinalize o momento de dormir.

3- O horário de acordar também pode ser ajustado, adiante 15 minutos em relação ao horário de verão e siga até o horário desejado.

4- Repita os ajustes por no mínimo 03 dias consecutivos.

5- Redistribua as tarefas do dia, evitando que estímulos vigorosos fiquem para o final da tarde.

6- Observe que as sonecas podem ter necessidade de serem antecipadas e eventualmente prolongadas (em geral, não deixe passar de 01:40 – dependendo da idade do bebê).

7- Lembre-se: o seu filho(a) vai te mostrar o caminho.

Fique atento à irritabilidade, bocejos, mudança no apetite, choro sem motivo aparente.

Tenha paciência, aproveite para reestruturar seu sono também, porque…

….DORMIR VAI MUITO ALÉM DE FECHAR OS OLHOS.

@smartnapassessoria por Mônica Molha Romero

Consultora materno infantil, enfoque no sono.

Instrutora de Shantala.

Palestrante.

Fisioterapeuta – especialização cardiorespiratória.

Formada em Programação Neurolinguística – PNL.

Mamãe da Chantilly e do Suspiro.

Dúvidas sobre o trabalho de Consultoria?

Entre no IG @smartnapassessoria e acompanhe mais conteúdo.

Contatos: ☎📞 11 984021712, Direct ou via e-mail contato@smartnapassessoria.com.br

Contato: carolina.canalinfantil@gmail.com

Instagram: @canalinfantil

Facebook: @canalinfantiloficial